Desabafos de Uma Brapanese

Encontrei o Jorge e alguns conhecidos no bar, na manhã de domingo. Porque eu trabalho no graveyard shift, meus horários são todos zoados: eu acordo no horário da janta e durmo durante o dia (ou, pelo menos, tento). Mas, de vez em quando, em alguns fins de semana, meu corpo pede para que eu durma por um período extenso que inclui a noite e foi isso que fiz nesse fim de semana.

Às 6h da manhã, vi que tinha recebido uma mensagem do Jorge às 4h da manhã dizendo que eles estavam em um bar perto de casa e iriam assistir ao jogo Holanda x Costa Rica (aliás, a Laranja Mecânica nunca pensou na vida que seria levada pela Costa Rica aos pênaltis nas quartas-de-final de uma Copa do Mundo! Só por isso, a Costa Rica merecia um troféu). Perguntei se eles ainda estavam lá e fui.

Continuar lendo

Sangue nos Olhos vs. Pobres de Mente

“Oi Tati, decidimos que vamos comprar a janta para todo mundo na quarta-feira e você vai pagar metade, OK?”

Foi assim que fui recebida ontem ao chegar ao escritório por uma das minhas colegas. Não minha chefa, não minha gerente, mas uma colega. Eu disse não. É claro que não. Existe algum motivo para essa tal janta a qual eu tenho que pagar metade? Disseram-me que era para comemorar os aniversários dos meses de março, abril e maio. OK, pago o mesmo que todos forem pagar.

Continuar lendo

“Seu cartão foi bloqueado por suspeita de fraude”: Uma Experiência com o Serviço de Atendimento Brasileiro

Um dia, tentei fazer uma compra pela internet, nas Filipinas. Recebi a seguinte mensagem: “Seu cartão final XXXX só poderá efetuar transações no CHIP/SENHA. Outras informações, ligue central do Banco fone verso do cartão”. Quando virei o cartão, só existiam três números: o número local (para ligar do Brasil) e dois números para ligações dos Estados Unidos e Canadá, os quais poderiam ser chamados a cobrar.

Claro que o resto do mundo não existe. Não existe outro número de telefone que não seja para os Estados Unidos e eu não tenho idéia de como fazer ligação a cobrar das Filipinas ou de qualquer outro lugar do mundo simplesmente porque esse é um procedimento que só conheço no Brasil. Quero dizer, deve existir uma forma de se fazer chamadas a cobrar do exterior para qualquer região brasileira, mas desde que o Skype foi inventado, acho que as chamadas a cobrar se tornaram cada vez mais escassas.

Continuar lendo

Calm Seas Never Made a Skillful Sailor… A Ressaca Emocional

Sempre fui o tipo de pessoa que lê a última página de um livro. Não antes de começá-lo, mas quando estou no capítulo 3 ou 4 e já estou empolgada com o enredo e com os personagens, sempre vou à última página para ver o qual o último parágrafo. Só para eu entender como o livro vai terminar…

Na vida, não tem como ser assim. Eu sei disso. Aprendi isso há algum tempo: temos que viver o dia-a-dia, sem deixar que a ansiedade afete nossas decisões. Temos que olhar para as pedras que estão no caminho, para cada uma das flores pelas que passamos e, assim, tentar distrair nossos cérebros que, algumas vezes, não sabem a hora de parar de funcionar e nos deixar em paz.

E quando isso não funciona? Como acalmar os nossos cérebros e as nossas loucuras?

Continuar lendo