Por Madrid… #Gratidão

Há meses não escrevo um texto meu. Acho que acontece. A vida acontece e há coisas que não podem parar. A vida toma conta e, muitas vezes, as coisas que gostamos são deixadas para depois. Acontece.

No final de 2016, estava cansada do meu antigo trabalho. Para ser honesta, não estava tão cansada do trabalho porque recém havia mudado de departamento e trabalhava com a melhor chefa que tive na vida, Sonia Serrano. O fato é que estava ganhando pouco e a empresa que estava parecia muito engessada para que pudesse crescer ou ganhar melhor em menos tempo.

O motivo pode parecer superficial, mas após quase 20 anos de experiência profissional, receber quase como um estagiário para um trabalho que tinha 9 anos de experiência profissional não era mais suficiente. Então eu mudei.

Fui para uma empresa que tinha mais possibilidades profissionais que uma multinacional estruturada. Só que também não tinha divisão de tarefas e todos eram responsáveis por tudo. Quando há muitos caciques, a tribo não funciona. Estava trabalhando muitas horas por dia e a companhia não era perto da minha casa. Apesar de receber mais que média dos funcionários, o salário não era o mais alto como se pode imaginar – eram muitos funcionários e o faturamento era bem mediano. Enfim, saí – ou melhor, me “saíram” de lá. E foi um momento de alívio.

Acontece. Acho que todas as relações são assim: algumas dão certo e outras não; algumas são ótimas e duram a vida inteira enquanto outras, que são ótimas, têm data de validade. De qualquer forma, como uma porta nunca se fecha antes que se abra uma janela, tudo que acontece são oportunidades. Acho deveras que precisava disso para que minha fé na vida fosse restaurada.

Hoje, de férias, caminhei pelo Paseo del Prado com minha sogra. Conversávamos sobre temas corriqueiros e eu olhava ao meu redor. ‘Meu Deus’, pensava, ‘como é linda minha Madrid’…

Entramos no Palacio de Cibeles, o antigo Palacio de Comunicaciones, atual sede da Prefeitura da cidade. Sempre há exposições no local e é onde se vê um dos pores-do-sol mais bonitos da cidade – ou assim dizem. Caminhávamos sem rumo e entramos no edifício para ver se havia alguma exposição interessante. Caminhávamos como se estivéssemos de férias. E aí, sentada ao lado da loja de souvenires, olhei para o belíssimo teto e percebi que estava me re-apaixonando pela minha Madrid.

Palacio de Cibeles, Madrid

Engraçado como a rotina toma conta e não nos damos conta que, muitas vezes, o encanto se desvanece. Madrid e eu nunca entramos em conflito – a não ser por temas de futebol, mas até isso está baixo revisão –, mas o dia-a-dia muitas vezes toma conta e nos esquecemos de ver o que há ao nosso redor. E nos esquecemos de ver como tudo tem a possibilidade de ser mágico.

Ser despedida pode não ser a melhor opção, mas não foi a pior tampouco. Pelo menos no meu caso. Agradeço a cada instante o apoio e o amor que tenho nessa cidade que escolhi chamar de minha casa e, nesse momento, agradeço inclusive o fato de ter sido despedida. Talvez isso fosse necessário para que minha fé fosse restaurada.

Amanhã será outro dia. Sempre é. E amanhã tem grandes possibilidades de ser um grande dia! May I allow tomorrow to be awesome – que eu permita que amanhã seja maravilhoso.

Anúncios

2 comentários sobre “Por Madrid… #Gratidão

  1. Oi Tati,
    achei um texto teu quando estava olhando por experiências de vida nas filipinas, me identifiquei muiiiitoo com vc, so com um coisa diferente, adoro mudanças (sou de aquario).
    Bom moro na ilha da esmeralda a 4 anos e esse ano tomei coragem e comecei a fazer um curso tecnico de business e contabilidade, sou formada em biologia no brasil, mas sinto que preciso procurar uma profissão para me estabelecer financeiramente. Porém eu e meu marido irish gostamos mto de sol e lugares quente e praia, e esta sempre na nossa mente se mudar para um pais mais quente. Entao estou procurando um pais perfeito para nos. Mas não q eu não queira me aventurar sm outros para ter certeza, foi ai q pensei nas Filipinas, porém não tenho experiência com business ainda espero logo começar alguma experiência aqui na Irlanda e poder me mudar logo tb. Ai que vida neh tati. Btw Eu adicionei vc no meu LinkedIn. E vou ler outros textos seus para me inspirar. Beijinho xx

    • Olá Vivian, tudo bom?
      Que legal que você mudou o rumo da sua carreira. Quando a gente muda de país, muitas vezes, temos que nos reinventar.
      Olha, acho que você tem uma ideia um pouco equivocada das Filipinas – a mesma que eu tinha. OK, é um lugar quente, com muito sol em mais de seis meses do ano e com praia. Só que se você quiser trabalhar em finanças é bem provável que tenha que viver em Metro Manila e a cidade é caótica. Fora de Manila, há pouca possibilidade de desenvolvimento profissional. Provavelmente havería duas ou três cidades mais, no máximo, e as possibilidades de trabalho não seriam as mesmas que oferece Metro Manila.
      Sugiro você ler um pouco mais sobre como está as Filipinas no momento. Embora seja um lugar bem bonito, no qual tive uma boa vida, os policiais são corruptos e a cidade é super suja, com um trânsito infernal. Há vários textos que escrevi sobre as Filipinas, tanto aqui quanto no Brasileiras pelo Mundo. Há também as reportagens que comentam sobre o atual presidente das Filipinas.
      Se ainda assim vocês quiserem ir, boa sorte!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s