Sociedade de Hipócritas e Sexistas? A Pesquisa SIPS 2014 Indica que Sim…

Estava aqui, tranqüila, tentando desenvolver um texto para a publicação a qual contribuirei a partir de maio quando me deparo com a pesquisa de Sistema de Indicadores de Percepção Social feita pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e divulgada pelo O Globo em 27.03.2014.

O resultado dessa pesquisa é alarmante, em muitos aspectos. A princípio (gráficos 1, 2 e 3), ela demonstra que a grande maioria dos brasileiros vê a mulher como uma dona de casa início do século cujo maior sonho é casar, ter filhos e levar o copo de cerveja para o marido quando este chega do trabalho junto com os seus chinelos. Que outra coisa explicaria os quase 79% que acreditam que TODA (não a maioria, não a grande parte, mas TODA) mulher sonha em se casar e nos quase 60% que acreditam que a mulher só se sente realizada quando tem filhos? Eu não tenho filhos e me sinto realizada, obrigada por perguntar! E… Esperem… Eu sou uma mulher!

Continuar lendo

Minha Vida em Março (o meu mês das bruxas! Ha!)!

Sei que estou desaparecida do Trotamundos e adoraria dizer que é porque estou “trotando pelo mundo”. A verdade é que estou enlouquecida e o minha vida, ultimamente, tem sido constantemente instável (ou seja, a única constante da minha vida nesse momento é a sua inconstância). Quero dizer, meu padrão de sono continua inconstante (às 9h da manhã, o sol se transforma no holofote do meu quarto, mesmo que eu tenha cortinas black-out – que funcionam… Só que não completamente – e eu me desperto), então passo muito tempo na cama para tentar dormir, quando posso vou à academia e o trabalho que paga as minhas contas está, nesse momento, uma loucura.

Tive uma pequena crise (se repetiu, nesse ano, os desejos, embora mais controlados, de pegar o primeiro ônibus espacial e desaparecer pelo Stargate; o que deve ter acontecido, em minha opinião, com o voo desaparecido da Malaysia Air MH370), mas passou. A verdade é que algumas coisas que não gostei muito aconteceram e me senti bem decepcionada e frustrada. O que, de fato, aconteceu não vem ao caso. Mas o interessante foi ver como lidei com a situação.

Continuar lendo

Boracay: o Fim de Semana de Coincidências

É a quarta vez que visito Boracay desde que vim morar nas Filipinas, há três anos… Embora se tenha que pegar um vôo até Caticlan, um tryke do aeroporto até o porto, pagar as taxas portuárias (são três: o environmental fee, que custa PHP 100.00, a taxa do porto, PHP 40.00 e a taxa do barco, PHP 15.00) e, do porto da ilha de Boracay, pegar outro tryke para se chegar ao hotel, toda a estrutura de Caticlan está voltada para a visita à famosa ilha de Boracay.

Fomos no fim de semana do feriado do Ano Novo Chinês que, em 2014, caiu dia 31 de janeiro, uma sexta-feira. Sempre soube que Boracay é a praia-destino de muitos asiáticos, principalmente de chineses e coreanos. Mas, considerando que o Ano Novo Chinês é um feriado que dura, no mínimo, uma semana nas terras de Mao, pensei que no dia 01 de fevereiro, um sábado, o porto fosse estar com uma movimentação normal de fim de semana e Boracay fosse estar lotado. Estava parcialmente enganada.

Continuar lendo