Manila Nights Out

A vida em Manila pode ser uma festa open bar para um estrangeiro em uma micro Torre de Babel. Sério mesmo. Quando saio para a balada nas Filipinas, sempre acabo nos mesmos lugares. O que acontece é que, embora Manila seja uma cidade com imensas proporções, a comunidade de estrangeiros é muito pequena e sempre frequenta os mesmos lugares. Se falamos de comunidade de estrangeiros e filipinos que vão para a balada, o número é ainda menor.

Entre os meus conhecidos, encontram-se europeus (principalmente espanhóis), latino-americanos, estados-unidenses*, poloneses, russos e outras nacionalidades do leste europeu, brasileiros, filipinos, iranianos, entre outros (porque, seguramente, esqueci de alguém). Uma confusão não só de idiomas, mas também de culturas que podem ser completamente diferentes.

Então, não é de se surpreender que as vezes que saio, encontro vários conhecidos meus. No sábado, por exemplo, encontrei um conhecido meu da academia no bar que estivemos (Skye) e outro também da academia na balada (Privé). Encontrei também uma amiga de um amigo cujo telefone nunca tinha pegado (até aquele momento). Então, acho que a grande lição é não se fazer nada de errado porque o Big Brother vai estar de olho. =) Ou faça porque, em Manila, quase tudo é permitido…

manila_nights_out_skye (01)_trotamundos_tatisato

manila_nights_out_skye (02)_trotamundos_tatisato

manila_nights_out_prive_trotamundos_tatisato

Às vezes me pergunto até quando vou viver essa vida. Não tenho como evitar: os pensamentos me corroem o cérebro. Enquanto a vontade existir, acho que vou continuar saindo mesmo que esteja entre os mais velhos do lugar. É a vida.

Entre as baladas que mais vão estrangeiros, destacam-se:

Havana Café: eu ODEIO esse lugar porque o serviço é horrível, a bebida, péssima e o preço, desproporcional. Às vezes combino de encontrar amigos lá, mas sempre quero sair daquele lugar o mais rápido possível pelas razões citadas acima e porque está cheio de prostitutas filipinas. E eu, com meu look japa que é frequentemente confundido por filipino, prefiro não me arriscar a estourar uma garrafa de cerveja na cabeça de ninguém.

M Café: localizado no Greenbelt, um dos shopping centers de Makati, suas noites de quinta-feira são caracterizadas pela presença de muitos estrangeiros que saem para o happy hour. Todas as quintas, tem um DJ que toca música ao ar livre enquanto as pessoas circulam e conversam. Não fui muitas vezes, mas eu gosto muito do ambiente.

Skye Bar: localizado no topo do edifício W em Fort Bonifacio, o ambiente é agradável, com pessoas bonitas e ao ar livre. A cuba libre custa PHP 250,00 (em torno de R$ 12,00) e sempre tem um DJ. No dia 31 de janeiro, haverá a comemoração do Ano do Cavalo de Madeira (Ano Novo Chinês).

Privé: localizado em The Fort Strip, em Fort Bonifacio, é uma das baladinhas onde se encontra muitos estrangeiros. Fui uma vez e me diverti muito! Fica lotado de quinta à sábado.

prive_manila_trotamundos_tatisato

Time: localizado em 7840 Makati Avenue, o estilo de música é techno e house. Embora eu não goste desses estilos, sempre danço bastante quando vou. Fica cheio sábados à noite e, como é uma balada late night, muitas pessoas vão para lá depois de ir a bares ou baladas que fecharam mais cedo.

Chihuahua Café: ao lado do Time, toca salsa e músicas latinas todos os sábados. Serve uma comida mexicana razoável, mas a cerveja não é muito boa (embora seja draft). A maioria da comunidade latina se encontra lá aos sábados.

Heckle & Jeckle: É um sports bar que serve comida indiana e filipina e fica em Makati (Felipe Street). Se tem um jogo de futebol (Eurocopa, Copa do Mundo, etc.), rugby ou qualquer outro esporte que não seja popular nas Filipinas, esse é um dos lugares para se ir. Em frente ao Heckle & Jeckle, tem um bar de comida mexicana chamado Chupacabra (esse nome ninguém esquece), com preços razoáveis e ótima qualidade.

Handlebar: Outro sports bar que fica bem próximo ao Heckle & Jeckle. Com mesas de sinuca, se pode jogar ao mesmo tempo que se assiste a um jogo.

*sei que são americanos, mas, para mim, americanos são todas as pessoas que nasceram nas Américas. Esse não deveria ser um termo exclusivo de quem nasceu nas fronteiras dos Estados Unidos. Pronto, falei!

Creative Commons License
Trotamundos by Tati Sato is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
Based on a work at https://tatisatotrotamundos.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s