Sorte? Não… Acho que é Responsabilidade! =)

Sorte… Acho essa palavra um pouco aleatória para definir certos eventos da vida… Acredito que somos responsáveis pela nossa sorte, pelo nosso destino. Mas utilizar palavras como “sorte” e “azar” para definir vidas, para definir pessoas, é uma atitude um pouco passiva, como se a maior parte das coisas das nossas vidas fossem definidas por outras forças, além da nossa própria vontade e atitudes. É como se acreditássemos que a vida fosse um enorme jogo de roleta. E, honestamente, acho que isso não é verdade.

Muitas pessoas olham para a minha vida e dizem como tenho sorte… Muitos acreditam que eu viva uma vida de sonhos, uma vida na qual tive sorte, no sentido de que as coisas simplesmente aconteceram para mim e isso não é verdade.

Continuar lendo

Anúncios

Hong Kong, a Cidade das Luzes do Oriente

City of Blinding Lights é uma canção do U2. Alguns dizem que ela representa New York ou, talvez, o skyline de New York visto do Brooklin. Acho que esse é exatamente o caso de Hong Kong, visto da baía de Kowloon, da Avenue of Stars.

O skyline da cidade, da Avenue of Stars, em Kowloon

O skyline da cidade, da Avenue of Stars, em Kowloon

Hong Kong foi o primeiro país que visitei quando cheguei à Ásia. Em agosto de 2011, pegamos o avião e passamos um fim de semana por lá.

Continuar lendo

Macau, Antiga Colônia Portuguesa Onde Não Se Fala o Português…

Se você estiver em Hong Kong e a cidade não consumir cada segundo do seu tempo (isso é fácil, quando se trata de Hong Kong), visite Macau.

Macau foi a última possessão européia na China, permanecendo colônia de Portugal de meados do século XVI até 1999, na qual foi transferida de volta a China e se transformou em uma das regiões de administração especial (como Hong Kong). No entanto, nessa antiga colônia portuguesa na qual o cartão da imigração e todas as placas de rua estão em cantonês (um dos idiomas oficiais. Lembrem-se que “chinês” é um termo genérico para descrever todos os dialetos falados na China e nas suas regiões independentes) e em português, ninguém que encontrei falava o tal português.

Sim, embora o português ainda seja considerado um dos idiomas oficiais, não encontramos nenhum oficial da polícia, vendedor de loja ou recepcionista de hotel que o falasse ou ao menos o entendesse. Sim, isso é extremamente bizarro, principalmente porque até quase o ano 2000, o país permanecia como colônia de Portugal.

Continuar lendo