São Paulo, o Melting Pot Brasileiro

É engraçado olhar a cidade onde você nasceu com os olhos de turista… Há mais de cinco anos, escolhi morar fora do Brasil e, de vez em quando, eu volto para visitar meus pais, rever meus amigos e ficar um pouco na cidade. De repente, em algum lugar no meio desses anos, São Paulo deixou de ser meu lar e passou a ser uma cidade que eu, ocasionalmente, visito.

Não se enganem: eu amo São Paulo. Amo caminhar na Avenida Paulista e ver a mistura arquitetônica que existe na região. Eu, que conheço muitas cidades do mundo, não conheço nenhuma outra avenida que tenha a mistura arquitetônica como ela: nos seus aproximadamente 3 km de extensão, ela abriga casarões do início do século XX, como a Casa das Rosas, construída em 1935, prédios modernos construídos durante a década de 70 (como o MASP e o Edifício da FIESP), uma rede de televisão que tem uma universidade, bares, restaurantes, lojas, bancos, escritórios, um parque (o Trianon) e um museu (o MASP, Museu de Arte de São Paulo). E, tudo isso, de uma forma um pouco caótica, se encaixa com perfeição nessa avenida que representa a cidade que nasci.

avenida paulista (02) trotamundostatisato

MASP (01) trotamundostatisato

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O engraçado é perceber tudo isso com os olhos de turista. Quando visitei a primeira vez Paris, me lembro de ter pensado que deveria ser uma benção enorme nascer naquela cidade que respirava arte ao mesmo tempo em que deveria também ser uma grande maldição. Explico: ao nascer e viver em uma cidade tão bonita como Paris, de repente, porque tudo aquilo faz parte do seu dia-a-dia, o parisiense não conseguiria olhar para a cidade com a mesma admiração que eu a olhava pela primeira vez. Naquele momento, não percebi que, talvez, eu sofresse do mesmo mal.

São Paulo é uma cidade imensa: na sua zona metropolitana, moram aproximadamente 20 milhões de pessoas, praticamente metade dos habitantes do Estado. Para se ter uma ideia do que isso representa, em termos de mundo, o Estado de São Paulo tem quase a mesma quantidade de habitantes que a Espanha (país). Em termos econômicos, o PIB da cidade representa o 10º maior PIB do mundo. E no meio dessa loucura e mistura de pessoas de todas as partes do planeta, a cidade abriga tesouros como a própria Avenida Paulista e seus maravilhosos edifícios, o Mercado Municipal, a Estação da Luz, a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal, o Parque do Ibirapuera, o Pátio do Colégio e todas as maravilhas gastronômicas e culturais que uma cidade desse porte, com as suas origens, consegue oferecer… Ou talvez, essa diversidade somente possa ser oferecida por São Paulo.

Fundada por um espanhol (José de Anchieta nasceu Tenerife, na Espanha – pasmem! Eu fiquei chocada quando descobri!), a cidade pode ser vista como uma mãe porque se tornou o lar de todos que nela buscaram oportunidades ou refúgio. Ela foi responsável por receber maior quantidade de imigrantes italianos e japoneses do mundo e hoje é a cidade com a maior quantidade de pessoas de origens étnicas italiana, portuguesa, japonesa, espanhola, libanesa e árabe do planeta, fora de seus países. Essa mistura étnica e cultural transformou a cidade no que ela é: um melting pot, um caldeirão de mistura de pessoas de todas as raças, credo e cor. Então, se qualquer um pode ser brasileiro, qualquer pessoa do universo pode, definitivamente, ser de São Paulo!

pateo do colegio trotamundostatisato

Este slideshow necessita de JavaScript.

Com essa diversidade cultural, não é de se surpreender que se encontre comida de todos os lugares do mundo nessa cidade que é a segunda maior consumidora de pizzas do mundo (se produz um milhão de pizzas por dia! Impressionante!). Um dos paraísos gastronômicos do mundo abriga, além da comida da minha mãe, surpresas agradáveis como:

  • Butcher’s Market: essa lanchonete linda oferece hambúrgueres ótimos (um dos melhores que já comi), suculentos e bem grandes. Outro destaque é a Tapioca, que são cubos de tapioca e queijo coalho, fritos, servidos com molho agridoce. Endereço: Rua Bandeira Paulista 164, Itaim Bibi
  • Arábia: tradicional restaurante de comida libanesa, o Arábia é um dos muitos lugares que servem ótimas esfihas e quibes. Endereço: Rua Haddock Lobo 1397, Jardins
  • Padarias do Benjamin Abrahão: o seu memorável croissant de presunto e queijo me faz lembrar a época de faculdade e continua, igualmente, incrível. Endereços: Barcelona: em frente à FAAP; Benjamin Abrahão: Rua Maranhão 220 (próxima ao Mackenzie), Higenópolis, e Rua José Maria Lisboa, 1397, Jardins.

croissant benjamim trotamundos tatisato

  • Kopenhagen: tradicional chocolateira, o cappuccino feito com pedaços de chocolate é imbatível. Pode não ser o cappuccino na sua versão tradicional, mas supera qualquer outro que já tomei. A Nhá-Benta (a sua versão tradicional é marshmallow coberto com chocolate. Existem também as versões de maracujá, morango, chocolate ou duo, que é uma mistura da Nhá Benta tradicional com o recheio de maracujá ou morango), a Lajotinha, a Lingua de Gato e a maravilhosa Bala de Leite também devem ser provados.
Cappuccino e Nhá Benta

Cappuccino e Nhá Benta

  • Sushibol: restaurante japonês que dispõe de um cardápio muito bem montado. Vale destacar o Carpaccio de Salmão Crocante que é simplesmente incrível (fatias massa folhada e de salmão temperadas com gengibre, servidas em forma de torre ao molho ponzu). A unidade de Perdizes (a que visitei) fica na Rua Doutor Homem de Melo 436

sushibol trotamundostatisato

Este slideshow necessita de JavaScript.

Culturalmente, a cidade oferece centenas de cinemas, dezenas de teatros e casas de show e vários museus. Graças a Assis Chateubriand (ou Chatô), cofundador do MASP que adquiriu peças de grandes artistas na Europa pós-Segunda Guerra, São Paulo tem um arquivo de arte impressionante. A cidade também é destino de muitos artistas do mundo inteiro e musicais internacionais e, em suas centenas de salas de cinema, se pode assistir filmes de qualquer nacionalidade. A cultura está disponível para quem quiser e puder pagar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Infelizmente, como todas as cidades de porte imenso, São Paulo tem problemas estruturais enormes: o trânsito infernal é piorado pelo transporte público que não comporta o enorme movimento e a falta de linhas de metro que cubram toda a cidade. Os indigentes espalhados pela cidade e a falta de estrutura social propiciam o aumento da violência nessa cidade de proporções gigantescas que é considerada o motor econômico do Brasil. Talvez por isso, ela atraia a tantos migrantes e imigrantes, pessoas ao redor do mundo que buscam uma oportunidade.

Com todas as suas características, São Paulo é uma cidade que pode não encantar à primeira vista. Mas, se você tiver tempo e puder dar a ela uma oportunidade, ela pode te conquistar. Porque ela é uma daquelas cidades que, embora possa parecer dura e rígida ao primeiro contato, ela tem uma alma muito receptiva… Bem, talvez eu a veja assim porque é a cidade onde nasci! =)

Creative Commons License
Trotamundos by Tati Sato is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Anúncios

5 comentários sobre “São Paulo, o Melting Pot Brasileiro

  1. Pingback: Então é Natal… 2013 em Retrospectiva | Trotamundos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s